Quase todo aluno que esteve em alguma aula nos últimos tempos, ou pelo menos tem acesso à internet, sabe da febre dos fidget spinners, um objeto pequeno em formato de triângulo que gira. É um objeto muito simples, mas que virou uma grande febre. O fidget spinner, que seria um objeto giratório para fazermos fidgeting (leia mais sobre fidgeting aqui) tem como proposição ajudar a atenção em aulas ou palestras, sendo principalmente direcionado a pacientes não só com falta de atenção, mas com Autismo, Ansiedade, TDAH e stress. O brinquedo parte do pressuposto de que o fidgeting é benéfico à atenção do indivíduo (leia mais sobre essa relação aqui), entretanto, talvez esse objeto não seja tão benéfico à atenção como é dito.

Captura de Tela 2017-10-26 às 13.51.01.png

O primeiro indício da falsidade dessa suposta função do produto é a dualidade que se apresenta quando analisamos o uso do brinquedo, como um brinquedo. O produto não ficou famoso por ser terapêutico, mas pelos vídeos de YouTube e Instagram que usavam dele para fazer manobras e outras brincadeiras. Muitas escolas chegaram até a banir esse brinquedo pelo uso excessivo e a distração que causava ao próprio aluno e todos a sua volta.

Captura de Tela 2017-10-26 às 13.52.21.png

A questão é que: o fidget spinner é nada mais que um brinquedo. Ele não ajuda na atenção e muito menos no TDAH, pelo contrário, ele cria uma enorme distração. Scott Kollins, um psicólogo e professor da Duke University, afirma “[sobre fidget spinners ajudarem no foco, TDAH, etc.] não há evidências para dar suporte a essa afirmação” (tradução livre). Além de não haver comprovação direta da efetividade do brinquedo, vários estudos que avaliaram a relação do fidgeting com a atenção não viram os mesmos resultados positivos quando o fidget era intencional. Os pesquisadores Roland Rotz, PH.D e Sarah D. Wright afirmam que um fidget efetivo não te distrai da tarefa inicial, pois é algo sobre o qual você não precisa pensar profundamente.

As pesquisas desse site buscam testar a relação positiva entre o fidgeting, atenção e TDAH, vistas no texto principal. Essas relações não podem ser vistas aqui, pois o fidget spinner não caracteriza efetivamente um fidget.

Além de inefetivos e enganosos, os fidget spinners se aproveitam de pais que estão em uma posição mais vulnerável, pais de filhos com TDAH, Autistas, e que procuram diversas maneiras para ajudá-los.

Anúncios

Um comentário em “E os fidget spinners?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s